Anônimos & Celebridades Utilidades & Futilidades / De Tudo um Pouco & Um Pouco de Tudo

sábado, 19 de janeiro de 2013

Por Dotti Jr : Conversa de botas batidas


Ruy Diniz e Maria das Graças Mendes Rocha


PARTE 1 : CONVERSA 

O amor da forma mais pura me invadia
Doce infância tão longe do agora
Lembro me quando era tudo o que queria
Emoção querendo ser vivida apenas fora de hora

havia o toque sutil da inocência
E a vontade de estar sempre ao teu lado
Desejávamos declarar as aparências
Sem relevarmos nosso coração apaixonado

Vi distante dos teus olhos o disfarce de um amor contido
Teu sorriso era tão sincero depois que eu a beijava
Que na infância eu , tão ingênuo e tão perdido
Mal desconfiava que o silêncio era uma prova que você me ama

Foi graças a amizade mais bonita
Que entendi todo o amor que nos foi dado
Confessei a minha saudade tão sofrida
A alegria de te ter sempre ao meu lado

Você disse que gostava da estrela mais alta
Enquanto me dava um último abraço apertado
Da sua presença até hoje sinto falta
Quando recordo-me do dia em que fomos separados

Não existia razão para tamanha forma de crueldade
Dar fim ao amor mais puro no coração de uma criança
Prometíamos a nós mesmos uma eterna fidelidade
para que nunca perdêssemos a esperança


PARTE 2 : DE BOTAS

Éramos e mal sabíamos que poderíamos deixar de ser
Quis assim o tempo transformar a presença em despedida
Brincávamos de amor enquanto os outros queriam correr
Tão novo não pude entender que o amor brinca com a vida

Éramos o que queríamos quando abraçávamos o nosso romance
Mas não estava ao meu  alcance controlar uma vontade que não era a minha
Nossas linhas já não eram mais escritas no livro das chances
E desde então carrego o pesar do instante em que deixei-a sozinha

perante a sua família de classe nobre na burguesia
Não seria um pobre como eu o escolhido para faze-la mulher
Foi tão breve que a vi desfilar pela cidade a sua nova companhia
Que jurei naquele dia me entregar nos braços da primeira que me quiser

Éramos casados com desconhecidos que chamávamos de amores
Meus filhos não tiveram seus olhos e os seus já não escrevem poesias
Encheria você com todo o meu amor se não preferisse o preço das flores
Que nunca pude comprar para te dar igual a maioria

Um dia quis o destino que você não mais recebesse a sua flor
Batia á sua porta a morte do seu marido já enfraquecido
Quando lembro-me que minha esposa também não bate mais a porta , sinto dor
mais recordo-me com ainda mais saudade do meu grande amor que não foi vivido

Hoje eu já nem sei pelo que você chora
Ninguém sabe se por ele ou por nós não termos sido
Além de morar dentro de mim , onde é que você mora ?
Talvez agora seja hora de dar voz ao que sempre foi sentido

PARTE 3 : BATIDAS

Veja você onde o barco foi desaguar
A gente só queria um amor
Deus parece ás vezes se esquecer
Ai , não fala isso , por favor
Esse é só o começo do fim da nossa vida
Deixa chegar o sonho , prepara uma avenida
Que a gente vai passar

Veja você quando é que tudo foi desabar
A gente corre pra se esconder
E se amar , se amar até o fim
Sem saber que o fim já vai chegar
Deixe o moço bater que eu cansei da nossa fuga
Já não vejo motivo
Para um amor de tantas rugas
Não ter o seu lugar

Abre a janela agora
Deixe que o sol te veja
É só lembrar que o amor é tão maior
Que estamos só nos céus
Abre as cortinas pra mim
Que eu não escondo de ninguém
O amor já desvendou nosso lugar
E agora está de bem

Deixe o moço bater que eu cansei da nossa fuga
Já não vejo mais motivos , pra um amor de tantas rugas
Não ter o seu lugar

Diz , quem é maior que o amor ?
Me abraça forte agora , que é chegada nossa hora
Vem , vamos além
Vão dizer que a vida é passageira
Sem notar que a nossa estrela vai cair


         " Certa vez existiam dois velhinhos que eram apaixonados desde infância,amantes há mais de 30 anos se encontravam sempre no mesmo dia e na mesma hora durante todo esse tempo em um motel chamado Linda do Rosário em Copacabana localizado na avenida 1º de março.Esse hotel era muito velho e a defesa civil já havia dito que era necessário uma reforma.Apesar de já serem viúvos,os dois carregavam o medo da rejeição dos familiares.No ano de 2002 em um desses encontros,uma das colunas do prédio estalaram,ou seja o prédio iria cair,rapidamente os empregados bateram em todos apartamentos pedindo para que todos os moradores saíssem de seus respectivos dormitórios,com medo de serem descobertos o casal resolveu não atender a porta, essas colunas estalaram por volta das 10:00 horas da manhã e o prédio só foi cair as 17:00 horas da tarde ou seja,todos já tinham a certeza que não havia mais ninguém naquele lugar.Pois bem,o prédio caiu e sete dias depois,quando já estava sendo feita a limpeza daquele local,encontraram entre os escombros os corpos daqueles dois velhinhos que pela posição pareciam estar abraçados.O fato de "preparar a avenida que a gente vai passar" deve-se a mesma ter sido interditada no dia da tragédia."Não saber a hora do fim" é uma grande ironia,porque ambos sabiam que morreriam por causa do desabamento."Deixa o moço bater" os empregados do hotel que bateram na porta para avisar,estavam cansado das fugas do casal."Sem notar que a nossa estrela vai cair" estrela era o nome da suíte daquele hotel onde morreram.Sem dúvida uma das histórias mais lindas que já aconteceram"



Adaptação da obra " Conversa de botas batidas"
Marcelo Camelo

DOTTI  GIOIA BUSCH JR


12 comentários:

  1. Gostei muito de toda essa composição... mas talvez uma melhorada na formatação seria bem-vinda! Parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelo comentário ... o erro da postagem já foi corrigido

      Excluir
  2. Nossa, muito bonito isso mesmo, achei meio confuso mas lendo deu para entender e realmente a historia é linda.

    ResponderExcluir
  3. Parabéns por seu projeto, principalmente pela criatividade empregada aqui. Acabo de me tornar seu seguidor. Se puder também me dar uma força curtindo a página do meu no face.

    o site é: www.cineprise.com.br
    e fanpage: https://www.facebook.com/oivalfnocinema

    Abs e novamente meus parabéns!!!

    ResponderExcluir
  4. Nossa que tocante Andy!
    A história dos velhinhos no prédio que desabou é comovente!

    ResponderExcluir
  5. Noossa muito bom esse post
    parabéns ..


    http://mundofashiondataah.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. não posso dizer q é uma das mais lindas estórias que já ouvi, diria q era bizarra... em vez de salvar as vidas, ficarem presos por vergonha e morrer... acabou que todos iriam saber do mesmo jeito

    ResponderExcluir
  7. Bonito e estranho.. no fundo, no fundo.. e uma bela lição de vida!

    ResponderExcluir
  8. Lindo!

    Bjks!

    http://un-necessary.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Que lindo flor.
    http://aromadobrasil.blogspot.com.br/2011/05/pao-de-batata.html

    ResponderExcluir